quarta-feira, 19 de Junho de 2019  06:45
PESQUISAR 
LÍNGUA  

Portal D'Aveiro

RUN - Contemporany Living Spaces Prescrição eletrónica (PEM), Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica (MCDT), Gestão de Clínicas RUN - Contemporany Living Spaces

Inovanet


RECEITA SUGESTÃO

Açorda de Marisco

Açorda de Marisco

Separadamente, ponha de molho as amêijoas e o berbigão para que larguem toda a areia que possam conter.

Coza ...
» ver mais receitas


NOTÍCIAS

imprimir resumo
11-01-2019

Tancos: Mais um detido em prisão preventiva



A Polícia Judiciária (PJ) deteve mais um arguido no caso do furto do material militar no Paiol de Tancos, que ficou em prisão preventiva, foi hoje anunciado. Segundo um comunicado da PJ, “em causa estão factos susceptíveis de integrarem crimes de associação criminosa, furto, detenção e tráfico de armas, terrorismo internacional e tráfico de estupefacientes”.

O detido já foi presente ao Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa e foi-lhe decretada a prisão preventiva. A detenção ocorreu na sequência das diligências desencadeadas na quarta-feira.

O furto do material de guerra, entre granadas, explosivos e munições, ocorreu entre a noite do dia 27 e a madrugada do dia 28 de Junho de 2017, no Paiol de Tancos. O inquérito corre termos no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) e o Ministério Público é coadjuvado pela Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT) da Polícia Judiciária.

O furto do material militar, entre granadas, explosivos e munições, dos paióis de Tancos foi noticiado em 29 de Junho de 2017. O caso ganhou importantes desenvolvimentos em 2018, quando foram detidos, numa operação do Ministério Público e da Polícia Judiciária, sete militares da Polícia Judiciária Militar (PJM) e da GNR suspeitos de terem forjado a recuperação do material em conivência com o presumível autor do crime.

Entre os detidos está o director da PJM e um civil (que já foi militar), principal suspeito da prática do furto, encontrando-se ambos em prisão preventiva, num caso que levou à demissão de Azeredo Lopes do cargo de ministro da Defesa e cujas implicações políticas levaram à criação de uma comissão parlamentar de inquérito.


ACESSO

» Webmail
» Definir como página inicial

Publicidade

TEMPO EM AVEIRO


Inovanet
INOVAgest ®